SARGS Sociedade de Anestesiologia do RS
 
Esqueceu a senha?
Conheça a SARGS
Associados
Ações da Diretoria
Histórico
Notícias
Centros de Ensino
Área Científica
Entrevista do Mês
Seja Sócio
Links Úteis
Oportunidades
Comunicados
Certificados
Segunda via de boletos

 

Outubro

Desafios da anestesiologia

 

Confira a entrevista com o anestesiologista Dr. Airton Bagatini. Ele foi presidente da SARGS (2006 e 2007) e da SBA (2013) e atualmente diretor de pesquisa da Fundao para Segurana do Paciente; coordenador da Perspectiva Assistencial; gestor do Centro Cirrgico do Hospital Ernesto Dornelles e corresponsvel pelo Centro de Ensino e Treinamento da Sociedade de Anestesiologia de Porto Alegre (SANE).

Qual a importncia da JARGS para o segmento da anestesiologia e para os profissionais da rea?
Toda a jornada cientfica carrega a oportunidade de ensinar novos conhecimentos. A importncia da JARGS pelo pblico local, estamos falando das nossas condies com a nossa cultura e do tipo de paciente que anestesiamos. Isto facilita o desenvolvimento das tcnicas que so aprendidas na literatura. Como o evento mais enxuto, h uma possibilidade maior de troca entre os profissionais presentes, colegas e palestrantes. O formato da JARGS de 2016 contribuiu muito para este fim, pois sua programao foi formada por palestras breves e com um tempo de discusso considervel.

Quais so os desafios da Anestesiologia atualmente?
O principal desafio o caos da sade, um problema nacional. Isto faz com que as pessoas trabalhem cada vez mais, privando-as de tratar e atender melhor os pacientes. As vezes quando frequentam uma Jornada, as pessoas tm como expectativa o mais novo artigo publicado no New England Journal of Medicine. Porm, na realidade, pouca coisa nova est surgindo. preciso aplicar os velhos conceitos. O nosso foco o paciente, ento preciso debater de que forma lidar e qual a melhor maneira de conversar com este paciente, para que possamos resolver os seus problemas e no os nossos.

Como est o processo de formao de novos anestesiologistas? So formaes de qualidade?
Creio que decamos neste sentido, o da formao. O jovem de hoje tem acesso a diversas ferramentas e, talvez por isso, ele no memoriza as informaes, pois quando precisar do contedo ele sabe onde encontr-lo. Ento, este panorama poltico e social no tem a preocupao em formar pessoas mdicas, e sim dar informaes para elas.

Qual o cenrio de novas tecnologias para o segmento?
Hoje temos um arsenal muito melhor, tanto farmacolgico como de empresas de equipamentos mdicos. Possumos aparelhos que melhoraram a anestesiologia, que - por exemplo - um paciente ASA I possui um bito em 200 mil. Isto se d pela possibilidade de monitorizao, na qual enxergamos o que estamos aplicando no paciente. Processo que antigamente era realizado s cegas. Porm, uma ressalva: so materiais de alto custo. Ento precisamos ter um equilbrio entre o uso destes equipamentos caros e disponibiliz-los aos pacientes.

Qual a importncia do Check List para cirurgias seguras e o que compe esta lista?
Este processo iniciou em 2009, quando o New England publicou um artigo afirmando que se reduz a morbimortalidade dos pacientes que fazem cirurgia com apenas um check list, que dura, em mdia, 3 minutos. No nosso hospital, conseguimos reduzir a taxa de infeco em cirurgia limpa de cinco casos para um - no perodo de um ano -, com a aplicao do check list. So perguntas simples como o nome do paciente, o nome do mdico que ir realizar o procedimento, o tipo de cirurgia, e, com isto, alm de ter o resultado prtico como a reduo de infeces, conseguimos tambm humanizar cada vez mais o processo.

Clique aqui e veja mais entrevistas

 

 

 

Sociedade de Anestesiologia do Rio Grande do Sul (SARGS)
Av. Ipiranga 5311 sala 106 • Porto Alegre - RS • 90610-001
Telefone: (51) 3339.3581
sargs@sargs.org.br

Desenvolvido por: www.pontoonline.com.br